POR ONDE PASSAMOS

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

APANHADO GERAL....

A viagem foi maravilhosa.

Deu tudo muito certo.

O Tempo: Choveu pouco e exatamente onde deveria ter chovido, fez sol nas partes mais bonitas, não fez muito calor no deserto, em sua maioria o vento ajudou e fomos brindados por um espetáculo da natureza em seu auge (neve).

A Policia: O único lugar onde encontramos policia Carabineira (Chile) com radar, passamos ilesos, pois vinhamos dentro da velocidade permitida, mesmo sendo uma longa reta num domindo pela manhã na Panamericana. No Chile não fomos parados pela policia, mas tivemos sua ajuda em nos dar carona para o hotel. Na Argentina fomos parados em cinco locais diferentes, mostravamos a documentação e seguiamos direto, depois de uma entrevista, querendo saber de onde vinhamos e para onde estavamos indo.

As motos: Foram impecáveis, pequenos problemas resolvidos na propria viagem, sem maiores desabores. Lâmpadas queimadas, parafusos quebrados ou se soltando em acessórios, trocas de oleo e pneus desgastados fazem parte de longas viagens como essas.

A Comida. Dá uma saudade do Brasil quando se olha um cardápio na Argentina ou no Chile. Além da comida ser cara, vem tudo separado e cobrado individualmente. Não existe por aquelas bandas restaurantes que te servem a vontade. Por vezes fomos a supermercado ou Almacén comprar bolacha ou frios, pães e refrigerante para fazer a janta.

Os Hotéis: Não reservamos nenhum hotel. Só se preocupavamos com hotel quando decidiamos que era hora de parar e procurar onde dormir. Lá, como anoitece tarde, perto das 9, parávamos a viagem perto das sete para deixar sempre uma margem de segurança. Pegamos de hotéis bons, médios e ruins. No Chile, na maioria das vezes ficamos em Residencial com banheiro privado. São acomodações boas a preços mais inferiores. No Chile os Hotéis são caros, na faixa de 30 a 40 dolares por pessoa. Na Argentina o preço era de 20 a 30 dolares por pessoa. Alguns oferecem café da manhã (Desayuno), outros nem sabem o que é isso. Obs.: Só ficamos em hospedagem que tinham WI-FI, exigência do Carlos... E onde não tinha mesmo, corriamos para uma Lan-House...

Combustíveis: Na Argentina o preço do combustíveis variou desde 4,70 pesos (2,35 reais/litro) até 3.10 pesos ( 1,55 reais/litro). Quem tiver indo pela Ruta 3, a partir da cidade de Sierra Grande o combustível já é de 3,10 pesos/litro, ficando assim até Ushuaia.  Na Argentina usamos na maioria das vezes a Gasolina SuperXXX, uma gasolina de cor azul, mas considerada comum para eles. No Chile o combustível é mais caro, parecendo os preços no Brasil. Pagamos desde 670 pesos/litro ( 2,50 reais/litro) a 720 pesos/litro (2,75 reais/litro). No Chile usamos a gasolina 5000, uma gasolina de cor amarelada que é a gasolina comum.

Roteiro: Não nos fixamos em visitar cidades grandes, até porque aqui no Brasil tem cidades muitos maiores e mais bonitas. O Ponto central da viagem foi a Cordilheira dos Andes e as belezas que a natureza podia nos oferecer, tanto que a cruzamos oito vezes, andamos de moto por cima, no meio e por dentro dela (túneis). A seguimos por quase 6.000 kms, desde Mendoza até a cidade de Ushuaia e El Calafate.

O Rípio.: Apesar de estar com uma moto custom, pouco adequada a andar no rípio, não tive nenhum problema. os 130 kms da Terra del Fuego foram feitos em menos de 2 horas. Rípio liso em sua maioria e muito bem batido, as vezes apareciam umas costelas de vacas ou buracos, mas nada a preocupar. Na Carretera Austral também tem um rípio bem liso, bem batido e fácil de andar, só se cuide com as caminhonetes, elas passam feito foquetes. O único trajeto difícil foi entre as cidade de Puyuhaupi até Manihuales, na Carretera Austral, nun percurso de 60 kms. Neste percurso você passa por dentro de uma reserva natual e sobe uma cordilheira com estrada em caracol com muita, mas muita pedra solta, fazendo com que parasse nas curvas para ver qual o melhor caminho a passar. O Carlos não teve problemas também para passar no rípio, e só não andou mais rápido porque tinha o Antonio ditando o ritmo da viagem.

Asfalto: No Brasil, asfalto do jeito que a turma conhece. Mal cuidado. Na Argentina. Pegamos pequenos trechos em mau estado, porém com muitas obras de duplicação, principalmente na região de Paso de Los Libres até Mendonça. No geral o asfalto é muito bom, liso e sem buracos, até mesmo nas áreas de deserto. No Chile. Asfalto sempre muito bem cuidado. Na região de Concepciom, onde teve o terremoto em fevereiro e que encontramos desvios nos viadutos com obras de recuperação.

Aduanas: As da Argentina são fáceis e rápidas. As do Chile são mais demoradas e costumam revirar a bagagem atras de comidas ou frutas. Se tiver cão farejador, ótimo, senão, abre tudo e mostra o que tem lá dentro. A do Uruguai, super simples e sem demora.

Documentação: Levamos Passaporte, mais para ter os carimbos, pois não é necessário. Carteira de identidade com menos de 10 anos é válido, assim como a carteira de motorista. Autorização do veículo, somente se ele não estiver em seu nome. Se tiver em seu nome e financiado, não precisa de autorização.

Seguro Carta Verde: Fizemos na fronteira e pagamos R$ 25,00 por 30 dias ára cada moto. Alias, todos os caminhoneiros se utilizam da mesma seguradora para fazerem o seguro Carta Verde, portando, ele é válido e muito bem aceito.

É AGORA: Bem, agora é começar a fazer o prôximo roteiro. Em Ushuaia tem um ditado. AQUI EM USHUAIA SEMPRE MIRAMOS AO NORTE, numa alusão de que alí é o fim do mundo, e se quiser ir a algum lugar só pode ser ao norte. Portanto, agora vou mirar para o Norte, e conhecer as belezas das Cordilheiras dos Andes Peruanos, Bolivianos, Equatorianos e Venezuelanos. Aguardem....

10 comentários:

Marcos disse...

Pessoal, que escreve é Marcos de Curitiba. Vou fazer essa mesma viagem com o Felipe (HD 883) começando no dia 6 de janeiro. Estou com uma dúvida sobre a carta verde. Solicitei a minha pelo Porto Seguro e já a recebi por email, mas constatei que ela veio escrito como válida para o CHILE. Consultei a corretora e ela me disse que a Porto Seguro mantém convênio da carta verde para a Argentina, Paraguai e Uruguai e a carteirinha de segurado será o suficiente para esses países. Fiquei na dúvida. Vcs podem me dizer o que precisaram fazer na Argentina e Uruguai? Sei que vcs fizeram a carta verde lá mesmo. Quanto tempo levou o processo. É que não quero atrasar os companheiros de viagem. Agradeço desde já pela resposta. Linda a viagem de vocês!

VIAJANTE SOLITÁRIO. disse...

MARCOS: O seguro Carta Verde nos fizemos na fronteira mesmo. Pagamos R$ 25,00 por cada moto e foi feito na hora, em menos de 30 minutos já estávamos prontos e na estrada. Quanto a esta Carta Verde não posso te falar nada, pois não conheço. O Seguro Carta Verde é muito exigido na Argentina. No Chile nem pedem e no Uruguay muito menos ainda. Acho que a Crata Verde deve ser sim válida para a Argentina, pois pode dar problemas..

Marcos disse...

Muito obrigado pela resposta rápida! Vou confirmar mais uma vez com a corretora, só pra garantir. Mesmo assim, segundo vc disse, não tem erro nenhum em fazer na hora. Grande abraço!

Marcos disse...

Só mais uma informação, a pedido da minha corretora de seguros: vcs já tinha seguro das motos de vocês? Grato pela atenção!!

Carlos Kelm disse...

Marcos
Sou o Carlos que viajou junto com o Antonio.
Sobre este seguro, em uma viagem anterior as corretoras fizeram um clima de dificuldades em cima disto. Paguei muito caro por uma viagem Argentina e Uruguai por somente 7 dias.
Agora, como o Antonio é um cara muito bem informado, deixamos para fazer o seguro na Fronteira, na verdade logo que você passa para o lado Argentino tem um local onde fazem este seguro, é rápido barato e é válido, não interessa se voce tem ou não tem outro seguro, nem te perguntam isto.
Esqueça a roubalheira brasileira e faça direto lá.
Só prá te responder - não tínhamos outro seguro.

VIAJANTE SOLITÁRIO. disse...

É isso aí mesmo Carlos. Marcos se você sair pela Fronteira de Uruguaiana, depois da Aduana Argentina tem um posto YPF, contorne esse posto e pegue a Ruta 14 que sai atras do posto, ande 650 metros, do lado direito tem um prédio MARROM comprido de três andares. Entre no estacionamento deste prédio com a moto e pela parte de trás vá até a última sala Térrea e pergunte sobre a seguradora. Não tem erro..

Marcos disse...

Valeu novamente pelas informações. Vou tirar lá mesmo então. Bem mais garantido que seja o documento que eles realmente vão querer e não qualquer coisa que a seguradora enfia guela abaixo da gente, kkkk. Grande abraço!

Marcos disse...

Sabe, eu tenho um a 883 custom e tentei seguir o conselho de colocar um protetor de carter. Fui atras do modelo da Roncar. Cheguei a comprar, mas por incrivel que pareça, a placa de inox tem as dimensões corretas, mas as fixações simplesmente não funcionaram. Pedi pra desinstalar. Você comentou que mandou fazer um protetor pra tua Mirage. Onde foi? Aqui em Curitiba? Valeu!

Evandro Dalben disse...

Olá Muito show sua viagem ! não tinha lido ainda relatos de alguem que tivesse feito em Dezembro essa viagem ! estou fazendo agora em Fevereiro e acabei de voltar em Novembro da parte Norte ( Peru / Bolivia / Chile ) tudo relatado no site PISTEIROS . com . br gostaria de convida-lo a fazer parte para trocarmos mais informações.

Grande abraço

FOX

Manuela e Paulo Victor disse...

Antônio e Carlos

Parabéns pela viagem. Acompanhei tudo aqui e certamente eu estava na garupa virtual.

Também tenho interesse num roteiro semelhante e tenho uma dúvida: você colocou a distância entre P.Arenas a Puerto Natales 150km. Vejo aqui no ruta0 e welcome chile como algo em torno de 240km. Você confirma este 150km?

Desde já agradeço a atenção.