POR ONDE PASSAMOS

segunda-feira, 2 de maio de 2011

MIRAGE 650 - A COMPANHEIRA DA VIAGEM...


Tenho recebidos muitos emails e comentários no Blog questionando a respeito da moto MIRAGE 650 EFI.
Por ser um modelo recém lançado, acredito que esta seja a primeira MIRAGE 650 Efi a ir até USHUAIA, passando pelo Chile e por uma trecho da Carretera Austral.

Minha impressão e opnião.
Se me perguntarem se devem ou não compra-la???
Acho a questão muito pessoal. Gosto não se discute.
Agora, se me perguntarem se a moto é boa, eu respondo: Excelente...

CONFORTO - A moto se mostrou muito confortável em toda a viagem, comprometido um pouco na parte de rípio devido ao pouco curso dos amortecedores traseiros, mas nada que fosse um grande empecilho. Na parte de rípio eu deveria ter regulado os amortecedores para mais mole e acabei não fazendo por puro esquecimento. A moto tem uma posição muito confortável, inclusive o Carlos me questionava, pois eu mantinha sempre a mesma posição, mas a posição e que era muito confortável, inclusive pelo encosto que instalei na moto, e por poder manter as pernas sempre retas e bem apoiadas. O guidão também mantêm as mãos bem apoiadas, mas na prôxima viagem pretendo colocar um piloto automático para deixar mais livre a mão direita.

INJEÇÃO - No geral ela se comportou muito bem durante toda a viagem. Ascendeu por duas oportunidades por um período curto. A primeira quando estava subindo os Andes a mais ou menos 2.800 metros de altitude quando parei para fotos. Nessa altitude a moto ligava sem problemas, mas ao acelerar, ou ela morria ou acelerava forte. Mas era desligar o motor e ligar novamente que ela já tava regulada para aquela altitude no momento. Se deixasse o motor ligado, isso não acontecia, mostrando claramente que a injeção tava fazendo os ajustes necessários. Durante a subida não senti nehuma alteração no ritmo do motor, pois ela mantinha a mesma agressividade na aceleração, nada de perder força ou engasgar. Outra oportunidade que ascendeu, foi quando mudei da gasolina Chilena para a Argentina, ao ligar o motor no posto, a injeção ascendeu também por um breve momento, mas depois voltou ao normal. Acho que também foi devido a altitude, pois tinha acabado de atravessar as cordilheiras e tava descendo de 1.800 metros para nível do mar. Não senti nenhum problema ou variação no funcionamento do motor.
Consumiu todos os tipos de gasolina sem problemas e sem engasgos. Tinha posto que não dava para escolher o tipo de gasolina, era pegar ou pegar... Inclusive uma preocupação da Kasisnki era o fato de a injeção estar regulada para a gasolina brasileira com 25 % de alcool e a moto poder apresentar super aquecimento, mas sinceramente não senti nenhuma diferença, até achei ela melhor com a gasolina sem alcool. Quando ao aquecimento, não houve nenhuma alteração..

MOTOR - O motor é um espetáculo, tem um excelente torque que tenta te arrancar do banco. Apesar de eu achar o motor barulhento quando esta em lenta, ele acaba ficando redondinho a partir dos 120 km/hora. Por ser um motor muito elástico, ele acaba deixando a moto muito fácil de pilotar. Dentro da cidade ando no corredor sem problemas. Na viagem pude manter 120 km/hora direto e sem problemas. Andei a 80 subindo os Andes e até a 190 km/hora quando precisei. Em momento algum senti a temperatura do motor alterar, somente quando pequei nevasca e que o marcador baixou uma marca na barra, ficando visível duas barras na temperatura.

CONSUMO - Por ser uma moto de 650 cc, com 80 cv e dois pistões, achei ela bem econômica. Fez na maioria do percurso entre 21 e 22 km/litro. Quando precisei que ela fosse economica, 320 km sem posto, andando a 80/90 por hora ela fez 25,5 km/litro. Em compensação, no retorno de Ushuaia, atravessando o deserto patagônico, andando a 160 km/hora ela fez 15 km/litro.

ESTABILIDADE - A moto cumpre o que promete, ou seja, speed custom. Ela entra muito bem nas curvas, e se você acelera, aí que ela gruda mais ainda, isso por conta do chassi reforçado, do garfo invertido e do pneu largo e de perfil baixo (180 - 55), entre outros itens que não quero entrar em detalhes, pois sou motociclista, não mecanico. Quando pegamos ventos laterais de 100 km/hora, senti que a MIRAGE, por ser mais baixa que a moto do Carlos (V Strom), cortava o vento melhor e recebia as rajadas com menos impacto. Apesar que em ventos nesssa velocidade, o melhor e parar e esperar, e foi isso que fizemos na cidade de Rios Gallegos.

MANUTENÇÃO - Fiz a revisão dos 3.000 kms antes de sair para a Viagem. Durante a viagem fiz duas trocas de óleo. Uma na cidade de Puerto Montt - Chile e outra na cudade de Ushuaia - Argentina. Durante toda a viagem não fiz nenhum ajuste na correia, mas isso foi um erro, apesar da correia não apresentar nenhum problema depois da viagem. Foi trocada a lâmpada, devido ter atropelado um pombo que bateu direto no farol. Troquei também um parafuso do alforge lateral que quebrou devido a trepidação. Quebraram também dois parafusos que seguram o suporte do escapamento, mas esses eu só notei quando cheguei em casa, mas nada que preocupasse, pois não notei nenhuma diferença. Quando voltei mandei fazer a revisãa, a moto estava com 16.500 kms e tinha perdido as revisões dos 6.000, 9.000 e 12.000 kms. Resultado, perdi a garantia da moto... Mas a moto não apresentava nenhum problema, foi mais uma revisão para deixar a moto novamente zerada. A moto tá com 19.000 kms e ainda não troquei o pneu traseiro...

ESTRADA DE RÍPIO - Andei com a moto por todos os tipos de rípio possíveis. Na maioria do percurso pude manter 70 km/hora sem problemas. Essa foi a velocidade que me deixou mais a vontade sobre a moto. Acho que o pneu largo atras mais ajudou do que atrapalhou. Na Carretera Austral, depois de PUYUHAUPI, passamos pelo Parque Nacional QUEULAT, numa espécie de Caracoles, onde o rípio estava muito ruim, a ponto de ter que parar nas curvas para ver o melhor caminho. Na Tierra Del Fuego, pegamos o desvio por Onaissim, e fizemos o trajeto de 130 km em menos de duas horas.

NO GERAL - A moto foi e voltou de Ushuaia sem apresentar qualquer problema. Tava levando em torno de 50 quilos de bagagem e mais 75 quilos do piloto.
Andei em várias velocidades e em todas elas pude mante-las sem problemas.
A moto subiu a 3.500 metros de altitude e desceu a menos 300 metros (isso mesmo - 300 metros abaixo do nível do mar - Patagonia). Atravessei os Andes 8 vezes. Andei na chuva, na neve, nevasca, chuva de pedras, deserto. Andei quase 1.000 kms em estradas de rípio, uma especie de estrada de chão, porém com pedras e pedriscos tipo brita. Pequei ventos com rajadas de mais de 100 km/hora. Pequei temperaturas que variavam entre - 10 graus ( 10 graus negativos) até 45 graus... Teve dias que fizemos 1.200 km sem parar... A moto não mudou em nada. Depois de Ushuaia, estive em Lages, e sem mais nem menos a moto ficou sem embreagem. Levei a concessionária e foi feito o ajuste num parafuso interno que havia ficado frouxo, esse parafuso faz a regulagem da abertura dos discos e tudo voltou ao normal.

NA MINHA OPNIÃO, FOI UM TESTE BEM DURO, ONDE A MIRAGE 650 EFI PASSOU SEM PROBLEMAS. Afinal ela é custom, e custom foi feita para viajar...

24 comentários:

Anônimo disse...

Pois é Antonio, relatos como seu estão contribuindo para reduzir o PRÉ-conceito que o brasileiro tem com marcas diferentes das 3 grandes (HYS). Alguns acham que por não ter a asinha de galinha no tanque a moto não presta, mas essa cultura está mudando, felizmente.

Eu fui um dos que mudaram de conceito com relação às motos da Kasinski.

Abraços, Mário Sérgio

carloskelm disse...

Pois é Antonio, belo relato.
Fiquei emocionado ao ler, relembrei de cada momento citado como se lá estivesse novamente.
Eu, mais do que qualquer um, que também tinha algumas idéias pré formatadas sobre sua moto, posso testemunhar cada fato, e confessar-me totalmente surpreso com os resultados obtidos por sua magnífica moto durante esta viagem.
Só posso desejar que um dia possamos fazer juntos outra viagem, e será certamente tão maravilhosa quanto foi esta.
Um grande abraço meu amigo.
Carlos Kelm

Thiago Motta Zappaterra disse...

A moto é excelente... Eu ainda não fiz longas viagens igual os amigos aí, mas não vejo a hora de fazer uma... abraços...

henrique mello disse...

Amigo, td bm? Como faço para conversarmos? Meu rário é 118*9389 e cel 91378786. Agradeço muito! henrique mello

Eu, minha e nossa Miragem. disse...

Excelente. Ao amigo q fez essa viagem, tirou várias duvidas sobre a Mirage 650. Tenho uma Mirage 250 q é uma maravilha de moto e estou ja paquerando uma 650 e não vejo a hora de poder andar nessa maquina. Parabéns pela viagem. abraços
Sergio Lopes
www.esquadraodecristo.com.br

Anônimo disse...

PERFEITO AMIGO...TENHO UMA MIRAGE 250 2011 A UM ANO E TO PULANDO AGORA PARA 650.....PELO PREÇO BEM MAIS ELEVADO ESPERO QUE ELA SO ME TRAGA ALEGRIA COMO A SUA...
ABRÇS
MARCELO-ANGRA

Paco disse...

Olá amigo! Cara.. você não só compartilhou sua viagem conosco, como também nos transmitiu de forma muito clara, todos os momentos da sua aventura e das situações ocorridas sobre suas duas rodas! Parabéns pelo relato! Depois de tudo o que li, acho sinceramente que deveria ser presenteado pela kasinsk com a garantia que lhe tiraram por não ter feito a revisão a cada 3.000km! Até por que no fim.. a propaganda que você fez.. me deixou mais louco ainda por essa moto! Tem vídeos de sua viajem? Adoraria ter o prazer de assistir a alguns trechos dessa aventura! Abraço..fui!

Anônimo disse...

Amigo, só por curiosidade, pois fiquei louco para fazer uma viagem do tipo. Só a titulo de organização financeira, uma viagem como esta te gerou um custo de qnts reais +-?
Forte abraço.

Ricardo disse...

Antônio. Parabéns pelo belíssimo relato de sua viagem. Me chamo Ricardo Villela e sou Defensor Publico do Tribunal do Júri da Capital de Minas Gerais. Sempre fui apaixonado por motos e já tive muitos modelos. Faço parte do clube da XT 600 aqui de BH e fiz muitos amigos neste club. Hoje, aos 54 anos tenho uma Bandit 650 e já venho "namorando" a Miragem 650 já há algum tempo mas sempre com receio da moto e sua desvalorização no ato da revenda dado ao "preconceito" da marca aqui no Brasil. Entretanto, posso lhe garantir que, depois do "teste" que você fez na moto que, diga- se de passagem, muito superior a varias revistas especializadas, já penso em adquir esta maquina. Parabéns mais uma vez e, conforme observei em um comentário em seu blog, acho que a empresa deveria fazer varias revisões em sua moto DE GRAÇA pois você esta contribuindo para a "quebra de preconceitos" sobre a marca em nosso país. Grande abraço, do colega motociclista mineiro!

Anônimo disse...

Caro Ricardo..

Continuo com a Mirage e pretendo em Novembro ir até Iquique no Equador, em outra grande aventura. Você tem uma Bandit 650, é posso dizer que a Mirage tem quase a mesma pegada de sua moto. Só andando na Mirage para perceber isso. Quanto a revisão, me informaram que se tivesse pulado somente uma revisão não teria dado problema, mas pulei 3 revisões e aí a coisa mudou de conversa. Boas estradas para o amigo.

Antonio
Viajante Solidário.

Jose Donato disse...

bom dia a todos, gostaria muito de agradecer vc Antonio, pois iso me enche de alegria pois troquei uma miraginha 150, por esta bela máquina descrita por você nesta viagem aventura emocionante, ou seja uma bela M650, que estarei pgando hoje, e se Deus quiser será só alegria, pois temos uma excelente concessionária aqui em Poços de Caldas MG, e se passar por aqui estaremos a lhe esperar.
contato: donato_contabil@uol.com.br

toninho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
toninho disse...

Olâ Antonio, o seu relato foi muito importante na minha decisão de comprar uma Mirage 650. Tenho uma Dafra Kansas 150, muito criticada, por sinal, mas para mim já quase quatro anos de muitas viagens e alegrias, visto que ela já está com cerca de 55.ooo Km rodados. Acho que agora está na hora de eu entrar numa custom mais potente. Estava namorando uma Harley usada, mas me apaixonei pela Mirage 650. Quem sabe um dia nos encontraremos por essas estradas afora. Valeu!!!

Anônimo disse...

Prezado Antônio. tenho uma Virago 1100, estou no plano de viajar para Ushuaia em dez/2013. Gostaria de saber se podemos trocar e-mail para tirar algumas dúvidas. Li os relatos do outro companheiro que fez a viagem contigo, e me parece que vc planejou por dois anos. Estou no começo dos planos e gostaria de saber que caminhos seguir.

Deixo aqui o contato: will_desiqueira@yahoo.com.br

também estou fazendo um post no Motoscustom.com

EVANDRO COUTINHO disse...

Antônio

Pode nos informar qual km sua moto está hoje?

Tenho uma também com 11.000kms que é minha paixão, estou à 9 meses com ela.

Abraço

Anônimo disse...

Caro Evandro Coutinho, minha moto hoje esta com 28.000 kms muito bem rodados.

ARANHAMEC113 disse...

Amigo viajante da M650. Estou admirado pela narrativa detalhada e sucinta da viagem,como dito pelos amigos a Kasisnk deveria dar uma atenção a mais na sua revisão visto q a viagem provou a excelencia da M650,mas claro devido suas observaçoes. Sou do RJ-Jacarepagua(freguesia) estou adquirindo minha M650...vizinhos e viajantes q passem pela area é só ligar e acomodação não faltará..abç...aos M650.

EVANDRO COUTINHO disse...

ARANHAMEC113

Entre no fórum www.motoscustom.com.br no sub menu KASINSKI e depois no link Mirage 650: Opiniões de proprietários. Tem mais de 200 páginas de comentários...muito bom.

A moto é maravilhosa, sucesso!

Abraço

Albis de Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tuka alves disse...

Tenho mirage 650 a 2 anos e sou motociclista a 41 anos. Afirmo que e das melhores.

Carlos Henrique disse...

Parabéns ao colega pelo relato!!!
Olá pessoal estou em negociação para adquirir uma mirage 650. mas estou receioso, pois algumas pessoas estão me dizendo que a moto não têm um funcionamento bom com gasolina comum. E necessário abastecer apenas com gasolina especial. E esquenta facilmente. Gostaria de saber se ela funciona normalmente com gasolina comum e esse problema de aquecimento é conversa de quem tem preconceito com a marca?? Ou pode ser um caso aleatório, como qualquer outro equipamento que vc adquire novo e ele apresenta problema desde a fabrica?
Me ofereceram uma 2009 por R$ 14.000,00, único dono, conservadíssima. Por ser uma moto com grande dificuldade de comercio, essa pedida está adequada? Posso pagar que não vou perder muito, ou devo brigar mais um pouco no preço?
Se tiver algum colega que possui uma mirage 650 e que poderia me ajudar, gostaria de pedir sua opinião. Se possivel um telefone.
Grato!!!
Carlos Henrique

sylserra disse...

Antônio, temos uma m250... Ótima moto também, quem sabe da pra ir longe também! Tem página no face??

henrique mello disse...

Oi amigo motociclista, td bm? Estou agradecendo a gentileza da resposta ao que lhe pedi há MAIS DE QUATRO ANOS! (julho/11). Tenho uma dessa e queria apenas algumas orientações para a viagem. Boa sorte! henrique mello

roberto thomaz disse...

Pessoal, bom dia, estou interessado em comprar uma mirage 650, entretanto estou com receio de comprar devido a falta de assistência técnica em belo horizonte. Outro ponto que me deixa com o pé atrás é sobre o perfil de uso, pois eu rodo cerca de 120km todo dia, num percurso misto de estrada e trânsito urbano. Quero saber de vocês proprietários se essa moto aguenta o tranco do uso diário? e como é o consumo dela?